Bebês Família

Importância do Padrinho e Madrinha de Batizado

Importância do Padrinho e Madrinha de Batizado
4.05 (81%) 20 votos

Não há honra maior do que ser madrinha ou padrinho de batizado de uma criança, mas esteja atenta pois esta honra vem acompanhada de muitas outras responsabilidades. Ser madrinha ou padrinho de batismo é um passo muito importante, tanto para você quanto para os pais do bebê e até mesmo a criança. Os pais da criança que irá ser batizada transmitem para o padrinho e a madrinhas a responsabilidade de zelar pela educação e criação dos filhos, durante a vida da criança ou caso um dia eles venham a faltar; ou seja, é como se você fosse uma segunda mãe ou um segundo pai para a criança.

 

Importância do Padrinho e Madrinha de Batizado

O que é o Batismo?

O batismo é o sacramento que abre as portas da vida cristã ao batizado. O Batismo perdoa o pecado original e todos os pecados pessoais e as penas devidas ao pecado.

O fato de que o batismo seja geralmente ministrado a crianças recém-nascidas, que ainda não  estão dentro da vida cristã por vontade própria, explica que quando a criança chegue a uma idade em que tenha discernimento e capacidade intelectual para decidir se quer ou não permanecer na Igreja Católica  receba então um outro sacramento, a Crisma.

Veja também: – Os 7 Sacramentos

Se o batismo perdoa os pecados, porque um bebê teria que ser batizado dado que ainda não tem pecados?

A Igreja Católica insiste no batismo às crianças porque “tendo nascido com o pecado original, elas têm necessidade de ser libertadas do poder do Maligno e de ser transferidas para o reino da liberdade dos filhos de Deus”.  A Igreja recomenda evitar que uma pessoa não batizada venha a morrer  sem a graça do batismo.

Por quem poder ser ministrado o batismo?

O batismo deve ser ministrado por um sacerdote, porém diante de uma situação extrema de um doente  estar prestes a morrer, qualquer pessoa pode e deve batizá-lo, dizendo “Eu te batizo, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo”, enquanto que, com o polegar da mão direita, desenha uma cruz sobre a testa, a boca e o peito do enfermo .

Quem pode ser padrinho e madrinha?

Se os pais vão batizar a criança na igreja católica, os padrinhos devem  ter todos os sacramentos da igreja católica e seguir os conceitos e preceitos cristãos. Além disso, os padrinhos devem ser maiores de 16 anos e deverão fazer o curso de preparação para o batismo. Os padrinhos, preferencialmente por razões óbvias, deverão ser da religião católica, algumas igrejas podem fazer esta pergunta.

Algumas outras paróquias podem não aceitar realizar a cerimônia de batismo caso os pais não sejam casados na Igreja Católica. Isso tudo deverá ser esclarecido quando você for marcar a data para o batismo. Não esqueça de solicitar a lista de documentos que deverão ser apresentados.

Como escolher quem serão os padrinhos (padrinho e madrinha) da criança?

Sugerimos que os pais da criança escolham pessoas próximas com as quais tenham uma boa relação de convívio frequente,  e por razões também óbvias, que tenham afinidades entre si;  dado que os padrinhos deverão estar presente durante o crescimento da criança.  Cada religião tem uma formalidade necessária para garantir que a madrinha e o padrinho irão mesmo dar continuidade e zelar pela educação e bem-estar das crianças. A madrinha e o padrinho precisam estar constantemente lado a lado com os pais para poderem assim participar de todos os momentos da criança. Ponto importante, jamais escolha os padrinhos pensando apenas na condição financeira deles e no que poderão proporcionar à criança.

Veja abaixo um vídeo do Pe. Fabio de Melo como escolher os padrinhos para a criança:

Para que serve o curso de preparação para o batismo?

O curso é feito pelos pais e padrinhos e tem como objetivo dar a conhecer aos participantes o significado da cerimônia, aprender o que  ela representa e suas responsabilidades como pais e padrinhos da criança que será batizada. A duração do curso vai depender da paróquia escolhida, pode ser um fim de semana, ou vários fins de semana. Informe-se na igreja que pretende batizar a criança.

Qual a função do padrinho e da madrinha?

Na concepção de muitos, ser madrinha ou padrinho é apenas presentear a criança com bons brinquedos e só, mas as madrinhas e os padrinhos têm funções que vão muito mais além disso, já que os padrinhos e madrinhas precisam ter valores morais e religiosos, bem como pensamentos semelhantes aos dos pais das crianças.Quanto mais presente na vida da criança os padrinhos forem, melhor para todos, já que a criança contará com duas pessoas a mais para se apoiar, e os pais da criança tem uma contribuição a mais na educação.

Por isso, muita atenção na escolha dos padrinhos já que eles serão parte fundamental e presente na vida da criança. E ao aceitar o convite para ser madrinha ou padrinho, tem que se ter em mente as responsabilidades que essa honra trás junto.

Qualquer coisa que aconteça aos pais da criança, os cuidados serão todos remetidos aos padrinhos, tanto a criação da criança quanto os cuidados com a educação, bem-estar e tudo mais o que os pais da criança se preocupariam.

Qual o custo de uma cerimônia de batismo ou batizado?

Geralmente existe uma taxa cobrada pela igreja para a cerimônia, porém algumas não cobram nada e pedem apenas algum donativo para colaborar nas obras sociais da sede paroquial.

Com qual roupa batizar a criança?

Geralmente os pais escolhem uma roupa mais especial para este dia, porém não há obrigatoriedade que seja algo caro ou extremamente diferenciado, para o menino poderá ser um roupa branca conjugada com alguma cor suave como o verde água, o azul ou o amarelo. Dê preferência para roupas fáceis de colocar e com abertura na frente,  pois em algumas igrejas poderá ser colocado um pouquinho de óleo no peitinho do bebê durante o batismo.

Para a menina, a mesma sugestão, uma roupinha branca com detalhes em rosa, pink ou outro tom mais alegre. O branco quase sempre é indicado pois representa a paz, a pureza e a inocência da criança.

Existem também uma roupas mais tradicionais conhecidas como mandrião, uma espécie de vestido longo bege ou branco, para  menino ou menina, e pode ser herdado de gerações passadas ou pode ser encontrado para comprar  em lojas especializadas em roupas para cerimônias religiosas.

Quem paga a roupa e o kit de batismo?

Geralmente quem paga a roupa de batismo (ou batizado), sapatinho, roupa interior, as lembrancinhas e o kit batismo são os padrinhos. Quem escolhe a roupa são os pais, os padrinhos poderão acompanhar no dia da compra e efetuar o pagamento. Porém isso não é regra, tudo pode ser conversado. Mas seria uma indelicadeza se os padrinhos não arcassem com estes gastos.

Quais outros itens se deve comprar para o batismo?

Uma toalha branca, uma vela de batismo decorada que será segurada no momento da cerimônia pelos pais e as lembrancinhas que serão oferecidas aos que estiverem presentes na cerimônia (avós paternos, avós maternos, tios e tias, primos e primas, e amigos).

Os padrinhos são obrigados a oferecer uma jóia para a criança pela ocasião do batizado?

Mais uma vez não há neste item nenhuma obrigatoriedade, embora em algumas famílias tradicionais este gesto fosse utilizado já há algumas gerações, onde os padrinhos ofereciam à criança uma pulseirinha de ouro, um fio de ouro com alguma medalhinha de anjo ou santo, ou outra jóia com o nome da criança gravado, a data do batizado e às vezes até com o nome dos padrinhos. Hoje em dia isso tem sido pouco utilizado.

Que tipo de lembrancinha devo oferecer aos convidados?

Há uma infinidade de opções que passam por tercinhos, caixinhas decorativas, bíblias pequenas, imagem de anjinhos, ou algo alusivo a cerimônia de batizado.

É obrigatório fazer festa de batismo (ou batizado) após a cerimônia realizada na igreja?

Não. Não há nenhuma obrigatoriedade que os pais façam uma festa após a cerimônia religiosa. Como a cerimônia de batismo (batizado) é realizada quase sempre na parte da manhã, os pais podem oferecer um almoço em família para os padrinhos e amigos mais chegados. Se a cerimônia se realizar na parte da tarde um reunião com salgadinhos, bolo, refrigerantes pode ser simpático ser oferecido aos padrinhos e demais convidados.

Uma pessoa pode recusar-se a ser madrinha ou padrinho de uma criança?

1º – A situação da escolha dos padrinhos do batismo nunca deve ser impostas pelos pais às pessoas que eles gostariam que fossem padrinho ou madrinha do seu filho. É de bom tom da parte dos pais terem a gentileza de indagar as pessoas que desejam convidar,  se aceitariam esta responsabilidade. Bem como compreender caso a pessoa se recuse, por não estar disposta a assumir esta situação ou porque não sente afinidade com os pais para que se crie um vínculo tão forte quanto este.

2º- Sim, uma pessoa pode recusar-se a ser madrinha ou padrinho de uma criança. A pessoa deverá alegar uma desculpa com a qual se sinta confortável e de forma a não ferir os sentimentos dos pais. Lembrando sempre que a sinceridade é essencial nessa situação. Muitas vezes a pessoa escolhida para madrinha ou padrinho não tem afinidade com a família, não se sente confortável por não ser católico praticante ou não partilhar dos ideais religiosos dos pais, etc.

Madrinha e padrinho são pais que são escolhidos para cuidar da criança e por isso mesmo a confiança dos pais  é toda depositada neles. Então, muita atenção e carinho quando for aceitar ou não o convite para fazer parte dessa nova vida que chega ao mundo.

Veja também: – O batismo em outras religiões



223 Comentários

  • Bom , eu tenho 13 anos comecei fazer catequese mais parei por uns motivos ,ai minha amiga mim chamou pra ser madrinha ,mais ela e evangelica e tem 14 anos , tipo eu vou voltar a fazer catequese e ano q vem com 14 anos fasso aa crisma , dai quando eu termina tudo a criança vai tar com 1 ano e meio ,mais eu vou pode ser ainda eu fui batizada com 3 anos na igreja catolica , enfim eu posso
    sermadrinha com 15 anos(ea idade que vou tar cm quabdo termina a catequese , ea crisma)

  • SER MADRINHA E UMA RESPONSABILIDADES ,TEMOS QUE ZELAR PELO BEM ESTAR DA CRIANÇA,TEMOS QUE ANDAR LADO-A LADO ,ESTAR SEMPRE PRESENTE NA VIDA DO AFILHADO. PARTICIPAR DA VIDA # E AMAR INCONDICIONALMENTE SEU AFILHADO.

  • Sou Padrinho de uma criança de 10 anos, gosto demais Desta criança. não tenho mulher, apenas sou universitario, entretato existem pessoas que pensam besteira em relação a ela.
    mas a vida é assim, julgam-lhe sem lhes cohecer.
    Alana ketlen esse é o nome de minha filha!

    • Olá Fabricio, não ligue, o que importa é o seu coração ser verdadeiro e o amor de pai que vc tem por ela.
      Sua consciência estando em paz é o que interessa, agora o que os outros pensam, bem ou mal, nada nos acrescenta. 🙂 Parabéns por ter este amor tão bonito e tão puro por sua afilhada.

  • Olha Katia, bom dia !
    Bom tenho 17 anos,e viu ser madrinha ,mais sendo que sou evangélica ,nunca fiz nada em igreja católica ,mesmo assim posso ser a madrinha de batismo ?

    • Olá Sabrina, bom dia 🙂
      Bem, depende da igreja, tem paróquias que tem algumas exigências, outras não.Pelo que sei os padrinhos têm de ser da mesma religião dos pais, ou seja, se forem católicos, os padrinhos tb devem ser.
      Pelo que sei tb é necessário comprovante do curso de preparação feito pelos pais e padrinhos até 6 meses antes da data do batismo, e algumas pedem certidão de Batismo (padrinhos solteiros) da Igreja Católica Apostólica Romana. Minha sugestão é que vc converse com os pais do bebê e peça a eles a lista de documentos que a igreja forneceu, bem como as exigências da mesma; assim vc pode preparar-se antecipadamente. 🙂

  • Há 14 anos atrás fui convidada a ser madrinha do meu primeiro sobrinho. Minha irmã me deu esse “presente”. Quando ele era pequeno me trancou no quarto para que eu ficasse com o menino, disse que eu tinha obrigação de cuidar dele. Eu tinha aula de faculdade no dia, era saiu e me deixou trancada, e eu perdi a aula. Depois desse dia percebi que seria assim pra sempre. Ela não cria ele direito, minha mãe que pegou a responsabilidade,e todas as vezes que há algum problema que enviada ele, você e madrinha, tem obrigação de fazer isso, são as palavras da minha irmã. Tive que colocar um limite. Infelizmente, minha irmã não tem juízo, não criou o primeiro filho, perdeu a guarda do segundo por irresponsabilidade e acabou de abortar um terceiro filho, com 41 anos. Não queria que as coisas fossem assim, mas são. E infelizmente há pessoas que usarão essa situação de apadrinhamento para o mal. Foram muitas seções de terapia para entender que minha obrigacão com meu sobrinho e’ de tia e madrinha, e não de mãe. Tenho obrigação de dar exemplo moral, religioso, mas não tenho nenhuma obrigação civil em relação a ele. Esse e’ a verdade. Abs.

  • Ser madrinha me transformou. Me sinto mãe do meu pequeno, hoje com dois anos, quando recebi o convite, na verdade, essa honra, fiquei tão nervosa como se eu é que estivesse gestante…
    Tento participar ao.máximo da vida dele e a forma de como ele me aceita como a “Dirnda” dele é maravilhosa, todos perguntam se é meu filho, sim, é meu filho e afilhado pois, é essa minha função.
    Somos uma família m maravilhosa e temente a Deus, que nos deu muita força para passarmos pela experiência de ter um um bebê de 29 semanas em nossas vidas que hoje esbanja saúde e beleza, é uma felicidade que não se mede e um amor que não se explica.
    Paz e bem.

  • Katia. bom tenho 16 anos vou ser madrinha ,mais eu sou batizada na igreja evangelica tem algum problema ??
    quando eu era pequena ate participava de algumas coisas na igreja catolica ,mais agora sou evangelica iai?

    • Olá Joice,
      Bem, antigamente as igrejas exigiam que os padrinhos apresentassem a certidão de batismo na igreja católica, hoje em dia eu não sei se ainda é assim, até já ouvi dizer que cada paróquia funciona de uma forma e pode ou não pedir a certidão dos padrinhos. Tente pedir aos pais da criança que peçam esta informação na igreja, se bem que no momento da marcação da data do batismo, os pais recebem a orientação de quais documentos devem ser apresentados; creio que vc terá que fazer um cursinho preparatório. 🙂

  • Olá, eu sou evangélica e minha família também e não temos esse costume na igreja de ter padrinhos. Porém minha família acabou adotando esse costume como extra oficial e meu outro irmão foi escolhido para ser padrinho do meu sobrinho, e ele foi tão relapso e tão ausente que o próprio menino me adotou como dinda e acabou que desde que fez um ano eu sou a dinda favorita dele. Moro agora a 300 km de distância, mas me esforço para vê-lo pelo menos 3 vezes ao ano e mesmo longe procuro ajudar os pais dele a dar uma boa educação. Converso até pelo telefone com o mulequinho (hoje com 6 anos) até pra “puxar as orelhas” quando ele faz artes e os pais reclamam. Todos ficam admirados de como nos damos bem, como mãe e filho. É muito bom ter uma criança na vida da gente.

  • Gostaria de saber
    Se é pecado Regeitar um convite afilhado de batismo?
    Numa situação que os pais não se conhecem e percebe-se que o convite se configura interesse pessoal do pai.

    • Nery, que eu saiba não é pecado. Batizar uma criança tem que ser algo que vem do coração de quem escolhe os padrinhos e de quem é escolhido para ser. Não vale a pena aceitar esta incumbência se não está no seu coração ou se vc percebe que há outros interesses por trás do convite. Agradeça e diga que não se sente preparada para tal ato, por motivos pessoais ou por crer que uma criança necessita de imenso apoio espiritual dos padrinhos, coisa que neste momento vc não tem condições de oferecer. Uma pessoa tem que ser livre para não aceitar o convite.
      Eu mesma já recusei por 3 vezes ser madrinha de crianças pq nao me sentia a vontade com a situação e pq percebia que a pessoa queria transferir para mim uma responsabilidade que não estava disposta a aceitar, que era ajudar na criaçao da criança em todos os sentidos, inclusive material.
      Mas de qq forma se vc tiver dúvidas sugiro que se aconselhe com um padre e explique como vc se sente em relação a isso, creio que ele dirá que vc é livre para poder ou não aceitar o convite, se não se sente a vontade com isso.

  • escolhi para padrinhos do meu filho um casal muito querido, ela, minha amiga ha mais de 30 anos e ele me amigo ha uns 24, eles juntos, entre namoro e casamento por 22 anos. Acontece que ele teve uma atitude horrorosa, se envolveu com outra mulher e simplesmente abandonou a esposa. Não bastasse isso, desde o ocorrido, vem tendo atitudes horríveis, de total desrespeito com a família e os amigos. Quando o escolhi como padrinho, era pir considera-lo uma pessia de valores e que sem dúvida seria uma boa influência para o meu filho, agora, já não tenho a mesma opinião. o que fazer num caso desses? realmente o escolhi por ser uma pessoa da minha mais alta confiança, mas de uma hora pata outra, se transformou numa pessoa sem escrúpulos.

    • Olá Silvia, penso que não há muito o que fazer, mas sugiro que se vc frequenta alguma paróquia, que peça uma orientação ao padre desta igreja. Talvez ele possa te dar uma resposta mais acertada. Se fosse comigo, e eu discordasse severamente das atitudes do padrinho como é o caso a que se refere, eu me afastaria do mesmo; e teria uma conversa com meu filho (caso ele tenha idade para entendimento) e explicaria o porque deste afastamento e o porque vc acha que estas atitudes são reprováveis. Assim, apesar da decepção e da ausência doravante do padrinho, vc estaria em paz com a sua consciência por ter feito o que julga ser melhor para a influência na educação do seu filho. Espero ter ajudado.

Deixar 1 Comentário

Captcha