Bigmãe
Depressão Pós Parto

Depressão Pós Parto

Certamente você já deve ter ouvido falar da depressão pós-parto! Depois do parto vem toda aquela agitação e felicidade com a chegada do mais  novo membro da família. Mas toda essa mudança repentina pode causar stress e ansiedade na mãe e inconscientemente causar angústia e até mesmo certo trauma após o nascimento do bebê. O nascimento revela algo novo para a mãe e pode ser que ela sinta medo desse algo novo e irreversível.

Todos esses fatores podem ser a característica da depressão pós-parto. O que acontece na hora do nascimento, é que a mãe se sente separada de algo que fez parte dela durante 9 meses e repentinamente a criança se torna parte separada dela, com vida própria e necessidades especificas. A sensação do parto para algumas mulheres é de uma perda repentina de algo que era essencial para ela.depressao

A depressão pós-parto depende muito da vivência da mulher e das expectativas que ela tem com relação a vida e ao bebê. O nascimento assim como a morte é um ato de separação e como a pessoa lida com os sentimentos nessas situações é que fazem com ela desenvolva depressão pós-parto. Além disso o desequilibrio hormonal ocorrido logo após o parto também pode influenciar nestes sentimentos.

A mãe pode começar a desenvolver a depressão pós-parto quando ela sente realmente esse vazio da separação ou não consegue assumir as responsabilidades novas que estão pela frente, como descobrir porque o bebê chora ou não saber satisfazê-lo corretamente.

Outro fator que pode desencadear a depressão pós-parto é o fato da mãe querer fazer tudo ao mesmo tempo e se preocupar se tudo está em ordem na casa. Em razão dessa agitação, ela se esquece dos cuidados com ela mesma e acaba se sentindo feia, desarrumada e começa a ter uma preocupação maior ou até mesmo menor com seu aspecto físico.

Geralmente a mulher com depressão pós-parto tende a se isolar e a se depreciar; sentindo constantemente a necessidade de isolamento, principalmente isolamento do bebê. Ela pode se sentir fracassada e desiludida,  ela sente-se como se a única coisa que lhe restasse na vida é tomar conta do bebê e nada mais, sem vida pessoal ou outras tarefas.

Para amenizar os aspectos da depressão pós-parto é preciso muito acompanhamento das pessoas que estão ao redor da mãe e sempre oferecer ajuda, carinho, atenção e tudo mais que ela precisa para que ela se sinta amparada e não sozinha como é muito comum ela se sentir nessa fase de transição. Além disso é importante que após o parto a mãe continue a fazer consultas com o ginecologista/obstetra para poder recuperar-se rapidamente do parto, bem como partilhar com o médico e receber o devido aconselhamento relativamente a depressão pós-parto!

Lembre-se que isso é apenas uma fase e que logo passará, por isso evite a ingestão de remédios ou outro tipo de medicamento que poderá lhe prejudicar e também prejudicar o seu bebê! Procure dedicar um tempo à si própria, cuidar-se mais, ficar alguns momentos sozinha e longe dos problemas, fazer uma caminhada, ou até mesmo encontrar um hobby como cuidar das plantas, fazer yoga; ou algo que faça distrair-se um pouco. Caso não consiga sair desta fase sozinha procure a ajuda de um psicólogo que poderá lhe orientar formas de superar esta fase difícil.