Assim como o piercing, a tatuagem também é moda entre os adolescentes, e é claro que o seu filho já deve ter sonhado com uma, visto os amigos fazerem e tudo mais. Nessa hora, permitir ou não que ele faça uma tatuagem deve ser critério seu, já que a moda passa, mas a tatuagem fica marcada na pele para sempre. E se ele se arrepender depois, como ficará a situação? São todos esses pontos que devem ser pensados e discutidos quando ele fizer o pedido.

A tatuagem, diferente do piercing é uma modificação corporal quase que definitiva. Depois de feita, para ser removida é preciso de várias sessões com o dermatologista e aplicação de laser. Mesmo com tudo isso ainda fica uma marca ou cicatriz que dura para sempre.

Tatuagem é para toda a vida, não tem volta. Essa é a primeira explicação e motivo que você tem que ensinar o seu filho. Não tem volta e não há como ele se arrepender. Se ficar arrependido terá que conviver com o erro pro resto da vida.

Sem contar no fato que ainda há muito preconceito em relação à tatuagem. Na hora de arrumar emprego, alguns empregadores não selecionam candidatos com tatuagens. Mesmo que escondida, a tatuagem pode resultar em preconceito já que, às vezes está ligada com pessoas irresponsáveis ou usuárias de drogas. Um tabu ainda não quebrado na sociedade, mas que ele precisa saber para colocar na balança dos prós e contras da tatuagem.

A tatuagem, assim como o piercing trás também riscos para a saúde. Se feito em locais sem higiene, o seu filho pode ficar exposto a doenças como hepatite e até mesmo AIDS. Sem falar no risco de infecção ou de arrependimento por um desenho mau-feito.

Se ele for muito jovem, peça que ele pense bem antes de decidir se realmente quer fazer a tatuagem. Talvez seja apenas modismo dos colegas, ou algo que ele fará sob pressão e não porque realmente ele quer fazer.

Muitos jovens resolvem fazer tatuagem pressionados pelos amigos ou pelo fato de ser moda e se arrependem depois. Peça para ele pensar bem no que quer fazer. Antes dos 16 anos ele não pode fazer sem a sua autorização, mas tome cuidado que há estúdios que fazem mesmo assim e talvez ele esteja em risco. Faça um acordo com ele para que ele pense bem, converse com pessoas que fizeram e se arrependeram do que fizeram e tiveram complicações.

Mostre todos os lados para ele e diga que quando tiver certeza do que quer, você pode até autorizar. Mas ele tem que estar ciente das consequências do que ele vai fazer e principalmente que é algo para a toda vida, sem volta.
Se for modismo, certamente ele irá desistir. Agora se ele quiser mesmo fazer não há como você proibir, já que é melhor autorizar e procurar por um estúdio em que o tatuador seja de confiança do que ele fazer escondido em um local sem higiene e acabar com complicações mais sérias.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ