É muito comum os bebês regurgitarem ou até mesmo vomitarem, e toda mãe já está acostumada com isso. Mas você precisa ficar atenta, já que durante os primeiros meses de vida do seu bebê, a causa mais comum dos vômitos é o refluxo gastro-esofágico ou refluxo esofágico.

O refluxo gastro-esofágico é provocado pelo mau funcionamento de uma válvula que existe na entrada do estômago de todas as pessoas; a válvula é chamada de cárdia. O que acontece é que essa válvula deveria se fechar após a passagem do alimento, impedindo assim, que ele retorne pelo esôfago até a boca.

O que pode ocorrer nos recém-nascidos é esta válvula não funcionar em condições e pode permanecer aberta. Ou ainda há casos que essa válvula se abre com facilidade, mesmo quando o bebê está com o estômago cheio. O resultado de tudo isso você já sabe e percebe logo: o bebê se deita ou ainda, quando a pressão do abdômen aumenta, ele começa a tossir e assim acaba vomitando.

É esse retorno do conteúdo de dentro do estômago que é descrito como refluxo gastro-esofágico. Mas atenção, já que não é todo o vômito que pode ser classificado assim. O vômito do refluxo é acompanhado por uma grande quantidade de matéria expelida (o bebê pôe fora grande quantidade de leite), náuseas e dores ou até mesmo contração muscular da parte torácica.

Diferentes Refluxos Esofágicos
Diferentes Refluxos Esofágicos

O refluxo gastro-esofágico ainda pode ser dividido em duas categorias.

1- A primeira é o refluxo normal, que acontece muito em bebês saudáveis e não trás nenhuma lesão ou fazem nenhum mal; geralmente acontece logo após a alimentação, e a intensidade do regurgito varia de criança para criança. O fato mais comum que causa o refluxo normal é o excesso de ar engolido durante a mamada; ao sair do estômago do seu bebê ele pode trazer o leite junto.

O que alivia esse sintoma é mudar a forma de mamar, posicionando o seio ou a mamadeira de forma com que ele não engula ar e fazer o bebê arrotar após a alimentação, assim ele elimina mais facilmente todo o excesso de ar. A criança também pode ter refluxo pelo choro excessivo ou pela alimentação forçada.

Após a alimentação, o bebê ainda deve ficar em posição ereta por no mínimo 30 minutos. A alimentação pode ser variada, mas procure evitar alimentos cítricos, refrigerantes, achocolatados, açúcares, chás, cafés e iogurtes.

2- Já o refluxo patológico é acompanhado por outros sintomas, como o aumento do peso, perda do apetite, problemas respiratórios e choro sem justificativa. Alguns desses sintomas podem ser causados pela inflamação do esôfago, já que o ácido do estômago entra em contato com o esôfago. O diagnostico nem sempre é fácil, já que às vezes a perda do ácido do estômago é microscópica.

O refluxo gastro-esofágico ainda pode ser causado por má-formação da válvula ou até mesmo intolerância à certos alimentos como o leite de vaca ou lactose por exemplo. O tratamento desse tipo de refluxo depende da intensidade e das complicações que a criança sofre. Pode ser feito o uso de medicamentos, troca de posição ao dormir e até mesmo cirurgia nos casos mais graves para o reparo na válvula.

Mas o importante é que a maior parte dos casos melhora sozinho com o passar dos meses. Os sintomas desaparecem após o primeiro ano de vida do bebê. Geralmente o refluxo gastro-esofágico é apenas uma fase.

Saiba mais sobre: Refluxo Gastro Esofágico Bebês

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ

CONCORDA OU DISCORDA? ESCREVA O SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário

  Subscrever  
Notificação de