Nada melhor do que você ser companheira da sua filha, estreitar laços. Mas pode acontecer de, em vez de ajudar sua filha, competir com ela. Esses casos acontecem especialmente quando falamos de beleza; é aí que a sua vaidade não pode deixar ultrapassar o bom-senso nem ofuscar sua filha. Não seja rival da sua filha.

Você tem que está muito bem resolvida com a sua autoestima, assim não corre o risco de se sentir menosprezada em relação à filha. Você certamente usa técnicas para parecer mais nova – e calma isso não é pecado algum. Ou seja, ser confundida com sua filha pode acontecer; mas não se deixe levar, isso pode desencadear uma disputa sem limites.

Você não pode querer ocupar o espaço que pertence a sua filha, como por exemplo, ir aos mesmos lugares ou até viajar junto com a filha e as amigas. Você nunca deve invadir o espaço da sua filha; pode participar da vida dela, mas sem lhe tirar a privacidade ou deixá-la com a sensação que vai roubar o lugar dela.

Você como mãe não pode deixar sua filha presa; precisa dar espaço para que ela descubra o mundo sozinha, inclusive os homens.  Se acontecer de você ter a mesma profissão da sua filha, não dispute as mesmas vagas que ela, nem peça emprego.

Sua filha tem que perceber que você está lá para apoiar, e não para ser mais uma concorrente.  Tanto você como sua filha devem ter espaço para suas próprias realizações; precisam saber quando se aproximar e distanciar para manter um relacionamento saudável.

Mesmo assim, se vocês duas ainda estiverem em pé de guerra e nem o diálogo adiantar mais, não tenha medo ou vergonha e busque o auxílio de um psicólogo para auxiliar a perceber a relação que vocês levam e qual é o modelo correto para você e sua filha.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ