Para que haja paz em sua família é preciso que você, antes de qualquer outra coisa, esteja bem consigo própria, já que quase sempre a mãe ou a mulher é a base estrutural, física e psicológica de uma casa. A correria do dia a dia faz com que se tenha a impressão de estarmos perdendo algo ou sempre com a sensação de que esquecemos de fazer alguma coisa. Por isso exercitar a memória é muito importante para que o máximo de nossa memória possa ser utilizado.

Beauty Visual
Foto Arquivo Bigmãe

Mariana Messias, terapeuta Ocupacional, trabalha no Hospital Geral de Itapecerica da Serra, e citou em uma entrevista publicada na Revista Ponto de Encontro (Drogaria São Paulo) – Ed. 37 – dicas valiosas para treinar o cérebro e mante-lo ativo por muitos e muitos anos:

1- Presta Atenção:
Não tente guardar todos os fatos que acontecem., mas se concentre naquilo que achar mais importante, procurando afastar de si todos os demais pensamentos.

2- Relaxar:
É impossível focar em algo se você estiver tensa ou nervosa. Um exercício bom para estes momentos é prender a respiração por 10 segundos e depois solta-la lentamente.

3- Associar fatos a imagens:
Aprenda técnicas mnemônicas, como aquela que utilizamos para averiguar quantos dias tem um mês utilizando os nós superiores dos dedos e os seus intervalos. Elas são formas eficientes de memorizar uma grande quantidade de informação.

4- Água:
Ela ajuda a manter o bom funcionamento da memória, especialmente em pessoas mais velhas. Por isso lembre-se sempre de beber água.

5- Sono:
Para uma excelente memória, conceda ao seu cérebro o sono suficiente e reparador.

6- E mais:

* Tome notas;
* Organize-se;
* Tenha um diário;
* Mantenha-se em forma;
* Faça um check up regular da sua saúde;
* Faça exercícios como hidroginástica, caminhadas diárias, alongamento, dança; etc.

Melhorar a qualidade de vida, valorizar a autoestima, fortalecer vínculos familiares e sociais, como prevê as funções do terapeutas ocupacional, garantem a você uma vida com muita saúde, independência, bem-estar e alegria.

Fonte: Ponto de Encontro – Ed. 37 – Abr/Maio 2012 – Ed. Profashional

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ

CONCORDA OU DISCORDA? ESCREVA O SEU COMENTÁRIO