O dia 25 de Maio é o Dia Nacional da Adoção, que  nasceu após o “I Encontro Nacional de Associações e Grupos de Apoio à Adoção”, no ano de 1996. Passado alguns anos a data foi instituida pelo governo brasileiro  como o Dia Nacional da Adoção, atualmente comemorado em todo o Brasil.

 

A palavra adotar vem do latim adoptare, que significa escolher, perfilhar, dar o seu nome a, optar, ajuntar, escolher, desejar. A adoção é um ato de amor, porém é preciso saber que infelizmente adotar demora tempo. A maioria dos casais deseja uma criança recem nascida, de cor branca, do sexo feminino e sem problemas de saúde; e isso nem sempre é fácil de se conseguir. Infelizmente crianças com mais de 8 anos, mulata ou negras, do sexo masculino, e com problemas de saúde, têm poucas chances de serem adotadas; o que é uma grande injustiça!

Para se adotar uma criança é necessário que o casal esteja totalmente desprovido de preconceito, não se pode querer adotar um filho, apenas porque ele é branco, ou apenas porque é uma menina de olhos azuis; o ato de adoção é um ato de amor e generosidade, onde o principal é querer ser pai e mãe; e não apenas ter um filho.

Só podem ser colocados à adoção aquelas crianças e adolescentes para quem todos os recursos dos programas de atenção e apoio familiar, no sentido de mantê-los no convívio com sua família de origem, se virem esgotados.

Que pessoas podem se candidatar a adotar uma criança ou adolescente?

Homens e mulheres, não importa o seu estado civil, desde que sejam maiores de 18 anos de idade, sejam 16 anos mais velhos do que o adotado e ofereçam um ambiente familiar adequado. Pessoas solteiras, viúvas ou divorciadas, com modestas, mas estáveis condições socioeconômicas podem candidatar-se à adoção.

Como tudo nesta vida, parece que sempre há um mito em torno também da adoção:

* Alguns casais acham que adotar é um problema, e que não irão receber o amor da criança como se fossem seus pais verdadeiros.

* Outros pensam em como esconder da criança durante toda a vida que ela é adotada, um grave erro cometido por muitos pais adotivos, ou quando e como contar a verdade sobre a adoção.

* Algumas pessoas acham que se adotarem uma criança de outra raça poderão ser discriminados pelos vizinhos, familiares e amigos.

Felizmente algumas celebridades têm mostrado ao mundo todo que adotar é muito natural, e que não há nenhum motivo para se criar mitos em torno da adoção. A constituição brasileira de 1988 determina que “os filhos adotivos terão os mesmos direitos e qualificações, proibidas quaisquer discriminação relativa à filiação”, ou seja filho de sangue ou não, ambos terão so mesmos
direitos perante a lei brasileira. Isso já um grande ganho na justiça!

Se você realmente deseja adotar uma criança saiba que existem milhares e milhares de crianças neste imenso Brasil a espera de alguém que as ame e lhes dê um lar digno para viver. Pense nisso!

Saiba como adotar uma criança em: – Adoção Brasil

Fonte: Manual da Adoção

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ

CONCORDA OU DISCORDA? ESCREVA O SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário

  Subscrever  
Notificação de