Já ouviu falar em onicofagia? Se a resposta foi não pense novamente, onicofagia nada mais é do que o ato de roer as unhas. Algumas pessoas tem este hábito e  geralmente quando se está nervoso é que se roe  mais as unhas, isso porque o ato de roer as unhas está relacionado a problemas emocionais, como o nervosismo.

A Onicofagia pode se manifestar em crianças, adolescentes ou adultos. Quase sempre as crianças começam  a criar o hábito de roer as unhas por volta dos  ou 5 anos de idade. E é justamente nesta época que você tem que prestar atenção para que o simples ato de levar a mão à boca não se torne um vício.

O ato de roer as unhas, por mais inocente que possa parecer, pode causar sérias lesões as unhas e em volta delas já que as pessoas que roem as unhas, geralmente roem até que saia sangue. As unhas então  adquirem uma tendência a ficar  tão curtas que não crescem mais como deveriam crescer. E não adianta parar de roer as unhas, uma vez machucada a raiz da unhas, ela não voltará mais ao normal. O melhor mesmo é nunca criar esse hábito.

Os dedos também tendem a tomar uma forma irregular ficando com as pontas arredondadas demais ou com aspecto ‘curvo’, tudo isso ocasionado pelas lesões provocada ao redor das unhas pelo ato de roer.

Onicofagia é o nome dado ao hábito de roer unhas!
Onicofagia é o nome dado ao hábito de roer unhas!

O  hábito de roer as unhas não cria só esses problemas, já que quem rói pode ter problemas com infecções bacterianas e virais ou prejudicar os dentes, a boca e as cutículas, além do aparelho digestivo e provocar infecções na garganta e no intestino. As mãos e unhas estão em contacto com tudo que tocamos no decorrer do dia, portanto em sua superficie existem bactérias que ocasionam infecções e outras doenças.

Então, muito cuidado e preste atenção ao primeiro sintoma de que o seu filho vai roer as unhas, já que ele pode estar suscetível a males piores do que ficar com as unhas pequenas demais.

Você pode lançar mão de esmaltes com gosto ruim ou até mesmo aquelas famosas receitas caseiras para fazer com que a criança fique com o dedo longe da boca. Mas acima de tudo, você deve atacar o problema pela raiz, a ansiedade. As crianças ansiosas roem muito mais as unhas do que as que são mais calmas.

Então é aconselhado que um psicólogo acompanhe a pessoa ou a criança para tratar a fonte da ansiedade. Há vários tratamentos que podem ser feitos, mas sempre aconselhado por um médico. Roer as unhas não é somente um hábito constrangedor, mas é  acima de tudo um vicio que deve ser combatido.

E deixar de roer as unhas não fácil. É preciso ter consciência de que roer faz mal para a saúde e para a estética. E tentar combater o problema na origem dele, e tentar achar o motivo da angustia, nervosismo e a ansiedade. Só cuidando desses fatores é que uma pessoa vai parar de roer as unhas e ter a saúde em dia.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ