A coqueluche (ou Pertússis) é popularmente conhecida como tosse de guincho ou  tosse comprida (devido  as crises de tosse durarem muitos minutos, e ser considerada uma  tosse violenta, contínua e dolorosa). É uma doença provocada por uma bactéria que atinge todo o sistema respiratório. É preciso que você tenha muito cuidado com a coqueluche, pois ela pode causar várias complicações fatais.

Ela é transmitida via gotículas de saliva e ataca os tecidos das mucosas. O período de incubação varia de cinco até 21 dias. Os primeiros sintomas são tosse, coriza, febre e olhos irritados. Depois desse estágio você pode começar a apresentar aumento da tosse com ou sem catarro seguidos de vômito ou ânsia.

É importante você ficar atenta aos primeiros sintomas da Coqueluche para não confundi-los com uma gripe comum e começar o tratamento desde cedo. As crises de tosse são as piores porque chegam a impedir que você respire até que ela cesse; isso pode durar mais de um minuto. À noite o número de crises costuma a aumentar.

Os sintomas geralmente costumam desaparecer cerca de seis semanas depois do início da primeira manifestação da coqueluche. A doença é mais grave quando atinge crianças pequenas ou bebês com poucos meses de vida. Por isso é preciso que você fique atenta aos sinais de tosse do seu bebê para tratar, caso seja algo mais sério como a coqueluche. Como ela provoca ligeira falta de ar, internações às vezes se tornam necessárias para que o seu filho não sofra com falta de oxigênio no organismo.

O diagnostico só pode ser feito a partir que o médico ou pediatra observam o paciente para ver se ele está mesmo com coqueluche. Alguns exames de sangue e coleta de secreções como o catarro podem auxiliar no diagnostico correto.

Não use nenhuma receita caseira para tratar a tosse; a orientação médica neste caso é o ideal, pois você ou seu filho irão precisar de antibióticos que matem as bactérias e curem a tosse. O que você pode fazer é vacinar, tanto você quanto seu filho e a família como forma de prevenção.

Serão três doses que começam a ser aplicadas aos 2 meses, depois aos 4 meses e finalmente aos 6 meses de vida. O reforço da vacina tem que ser feito aos 15 meses e depois aos 4 anos. Depois de aplicadas todas essas vacinas corretamente o seu filho ficará imune por um período de 10 anos.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ