Nos dois últimos censos do IBGE – de 2005 e 2015 -, foi revelado que o Brasil teve um aumento no número de mães sozinhas (solo) em mais de 1 milhão. Para além da liberdade da escolha, onde a mulher pode fazer uma produção independente por opção, temos um outro lado mais preocupante que é a desigualdade de gênero em relação aos cuidados de uma criança e o abandono paterno (ou a ausência) do pai.

Ausência do Pai - Maternidade, abandono paterno e inversão de papéis

Seguindo a temática a artista Fernanda Brandão, do canal É Cena, produziu um vídeo satírico que aborda o assunto.  No vídeo, a artista Fernanda Brandão assume o discurso dos pais ausentes e mostra-nos que estas frases quando ditas por uma mulher soa como absurdo para a sociedade, quando é um pai a dizer isso já acham natural e não reagem com indignação.

A produção é Rafael Procópio, com texto de Debie Araya e produção da Raiz Filmes.

Frases como “Eu queria estudar, trabalhar, viajar, ver minhas amigas, e filho atrapalha”, e “Mas isso não quer dizer que eu vou abandonar ele. Sempre que eu puder, eu passo pra levar ele passear no fim de semana”, “Eu vou tirar muitas fotos e postar no Facebook para todo mundo ver que eu o amo”, etc, etc.

Afinal, porque a negligência de mãe é condenada, porque recai sobre a mulher todo o peso de criar sozinha um filho enquanto o pai volta para a sua vida de “solteiro” e volta a ter uma vida livre e sem preocupações? Isso é injusto, e esse tipo de ação é sensacional para que a sociedade reflita e cobre deveres e obrigações também do lado paterno.  Vamos ajudar a divulgar?! Repasse.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ

CONCORDA OU DISCORDA? ESCREVA O SEU COMENTÁRIO