Maquiagem, chapinha, roupas de marca, esmalte, tênis da moda. Tudo isso são desejos e exigências de algumas crianças com idades entre dois e sete anos; entretanto isto também ocorre com adolescentes que querem se sobressair entre os colegas de escola.

Por mais que as propagandas e o marketing incentivem o seu filho a ser consumista, cabe a você frear esse consumismo exagerado e não ceder toda a vez que ele quiser roupa de marca ou algo parecido.

Com o passar do tempo e a influência da mídia dos tempos modernos, as crianças passaram a ter vontade de viver como se fossem adultos. Na sua época o máximo que acontecia eram as filhas usarem o salto e o batom da mãe; isso, feito com moderação e com o intuito de brincadeira não há problema algum.

O dano começa a ser causado quando isso deixa de ser uma brincadeira e passa a ser algo cotidiano e uma fixação pode querer se vestir e comportar de maneira que não condiz com a idade do seu filho.

Você como mãe pode até ficar maravilhada com esse comportamento e achar bonito, uma graça. Mas o que acontece é que esse comportamento pode trazer problemas psicológicos para seus filhos. A constante busca pelas roupas de marca para ter um status diante das outras crianças pode provocar depressão e um consumismo exagerado quando ele somente quiser aquele tipo de roupa e recusar as outras.

É preciso que você coloque um freio nessa busca material do seu filho. Se você tem uma filha e ela gosta de se produzir, permita apenas um batom ou brilho, sombras, blushs, esmaltes, nada de químicas ou cremes para adultos – eles podem danificar a pele ou resultar em problemas mais caros. Se seu filho só gosta de roupa de marca, restrinja o guarda-roupa a poucas peças e ensine que as outras roupas sem serem de marca são a mesma coisa ou até melhor que as que ele prefere.

Caberá sempre a você mãe tomar cuidado com a imagem que seu filho tem dele e como ele se vê diante das situações de negação. Não deixe que ele vire um consumista nato ou que se deixe levar pelo apelo do marketing.

Saiba mais sobre consumismo infantil em: Instituto Alana

 

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ

CONCORDA OU DISCORDA? ESCREVA O SEU COMENTÁRIO