Bigmãe
Tipos de Parto – Parto Normal e Parto Cesariana

Tipos de Parto – Parto Normal e Parto Cesariana

Se você está grávida e tem dúvidas sobre o tipo de parto que fará, talvez este post possa ajuda-la a conhecer melhor os mais comuns: Parto Normal e Parto Cesariana. Por vezes o tipo de parto pode ser escolhido pela futura mãe, entretanto médicos costumam indicar que o melhor para a mãe e para o bebê é o parto natural ou mais conhecido como parto normal.  Em alguns casos o parto cesariana não é apenas escolha da mãe, mas sim uma condição imposta para que tudo corra bem, e geralmente é escolhido pelo médico em conjunto com a mãe devido a existência de algum tipo de impedimento para o parto normal.tipos-de-parto

O Parto Cesariana

Esse tipo de parto é considerado uma cirurgia, já que é feito um corte abdominal e no útero para que o bebê seja retirado. Acredita-se que quase 25% das mulheres escolhem esse tipo de parto por ser mais cômodo para a mãe.

Para o parto tipo cesariana ser realizado, a mulher não precisa estar necessariamente em trabalho de parto. Alguns médicos antecipam o nascimento do bebê caso aja alguma complicação ou risco para a mãe ou o bebê ou o parto normal não ocorra por falta de dilatação da mãe.

A cesariana também pode ser realizada durante o trabalho de parto, caso a mãe não apresente dilatação ou algum outro problema esteja comprometendo a saúde da mãe e do bebê.

Assim como toda operação, o parto cesariana requer alguns cuidados na recuperação, então caso opte por esse parto, lembre-se que o tempo para retomar as atividades normais pode ser mais que o dobro de um parto normal. A anestesia pode ser geral ou local, se for escolhido a anestesia local, a mãe não sentirá nada da cintura para baixo e ficará acordada em todo o procedimento.

O obstetra faz um corte na linha abaixo do umbigo e retira o feto, a placenta e o saco gestacional. Depois de tudo retirado, ele sutura o útero e o abdômen. Geralmente a mãe fica de dois a quatro dias internada se recuperando e fica até seis semanas sem poder fazer as atividades físicas convencionais; após esse período você ainda precisará de um programa de exercícios que irá recuperar o músculo do abdômen.

Uma das vantagens do parto cesariana é a possibilidade da mãe escolher o dia exato que o bebê vai nascer. Outra vantagem é que a mãe livra-se de qualquer medo que possa ter com relação às dores que irá sentir no trabalho de parto.

Mas o parto cesariana também tem alguns pontos negativos, como os riscos da anestesia, mesmo que local já que ela pode não agir corretamente e você sentir desconforto ou ter ainda alguma reação alérgica. O perigo de algum vaso ser rompido e você ter sangramento interno ou um coágulo se formar durante a operação; qualquer outra cesárea ou cirurgia no local fica dependente de como o primeiro corte foi feito, além disso, a mãe corre o risco de ter alguma infecção, ou ter a pela do local enfraquecida.

O Parto Normal

A hora do parto pode ser assustadora para algumas mulheres, mas se você souber quais são as suas opções e como cada tipo de parto funciona não terá tanto com o que se preocupar. Mas lembre-se de analisar bem as opções e os benefícios, tanto para você, quanto para o seu bebê.

O parto normal, é também chamado de natural ou vaginal. Esse é o tipo mais recomendado pelos médicos, já que o corpo da mulher foi projetado para o parto natural e a recuperação é muito mais rápida do que a cesaria por exemplo. O parto normal ainda faz com que a mulher tenha muito menos chances de contrair uma infecção ou qualquer outra complicação.

Algumas mulheres fogem do parto normal porque acham que vão sentir muitas dores, o que nem sempre é verdade, já que hoje existem técnicas que atenuam ou fazem desaparecer qualquer dor que a mulher possa sofrer. Os hospitais já formularam procedimentos padrões para todos os tipos de parto, para que a mãe e o bebê fiquem o mais confortável possível.

Quando você estiver em trabalho de parto e for para o hospital, o médico vai verificar a dilatação do útero e se você estiver sentindo muitas dores ele aplicará uma anestesia chamada de peridural. Caso o espaço para o bebê sair for insuficiente, o obstetra poderá realizar uma episiotomia, que nada mais é do que um corte que facilitará a saída do bebê; ele é feito na região da vagina com o ânus para evitar justamente que esse tecido se rompa.

O parto normal é um processo que se realiza praticamente sozinho, já que quando o útero estiver totalmente dilatado, as contrações se tornam mais fortes e as paredes do útero fazem pressão para que o feto seja expulso. A mãe deve apenas fazer um pequeno esforço para auxiliar a saída do bebê.

Após o bebê ser expulso do útero, há uma última contração que elimina a placenta. Caso seja necessária, a sutura da episiotomia é feita logo após o bebê nascer e os pontos caem em poucos dias, não incomodando em nada a mãe.

O parto normal faz com que o bebê  elimine qualquer resquício de liquido amniótico que o ele  possa ter aspirado, além de fazer com que os pulmões trabalhem mais facilmente e rapidamente. O parto normal ainda faz com que a mulher tenha leite mais rapidamente e em maior quantidade; a recuperação da mãe nesse tipo de parto é de até 48 horas, em menos de dois dias a mãe já está em casa com a criança se sentindo completamente recuperada.

Agora que você conheceu os dois tipos de partos, já pode conversar com o seu médico e decidirem em conjunto o que será melhor para você o seu bebê! 🙂