Rubéola na Gravidez

Gostou deste Post?

A rubéola é uma das mais graves doenças que podem atingir as mulheres grávidas. Ela é transmitida da mãe para o bebê ainda no útero e causa má-formação do feto; essas complicações variam conforme o estágio de formação do seu bebê.

Se a mulher contrair Rubéola durante o primeiro trimestre da gestação, a criança tem uma maior chance de nascer com problema de surdez, lesão cardíaca, problemas de visão,  baixo peso, distúrbios neurológicos e motores, problemas nos ossos e retardo mental.

É muito comum as mulheres confundirem a rubéola com a gripe ou um resfriado comum. A rubéola é transmitida pelas vias aéreas e os primeiros sintomas são febre baixa, dores nas articulações, coriza, conjuntivite, tosse e dor de garganta. É comum ainda o aparecimento de erupções cutâneas como manchas ou bolhas rosa pelo corpo todo. E não pense que só mulheres que contraem a doença, homens também. É por este motivo que a vacinação é realizada em ambos os sexos.

A melhor maneira de se prevenir contra a rubéola é a vacinação. Geralmente aconselha-se a fazê-la três meses antes de engravidar.

Hoje já existe um exame de sangue, o Inibição da Hemaglutinação (IH) que detecta se a mulher é ou não imune ao vírus; é o mesmo exame usado para a detecção da doença em mulheres grávidas. Outro teste que pode ser feito para confirmar ou não a doença é o ELISA IgM que mede a quantidade de anticorpos no organismo. Não se esqueça de pedir esses dois exames para o seu obstetra quando começar o pré-natal.

Não existe um tratamento específico para a rubéola, mas sim a vacinação como medida preventiva.

Todo o cuidado é pouco quando se diz respeito a doenças infecto-contagiosas como esta. Fique atenta ao calendário de vacinação e as campanhas; estas são as melhores maneiras de você se prevenir e ter uma vida saudável.



Gostou deste Post?

Speak Your Mind

*


+ dois = 9