Gravidez

Os métodos contraceptivos naturais

Os métodos contraceptivos naturais
5 (100%) 2 votos

Algumas mulheres optam por utilizar métodos contraceptivos naturais, as razões são diversas, algumas não querem ou não podem por problemas de saúde ingerir a pílula anticoncepcional, outras não de adaptam ao DIU, ao implante hormonal, algumas tem alergia ao preservativo, ao espermicida, etc. Por isso hoje o Bigmãe traz para vocês um artigo que fala um pouco sobre os métodos naturais de contracepção.

Para utilização desses métodos naturais é necessário que a mulher aprenda a identificar o período fértil, exigindo uma observação cuidadosa das modificações fisiológicas do seu corpo com registo diário dos dados: dificuldade e alteração dos registos por medicações, infecções, etc.
metodo-contracepcao-natural-gravidez

Vejamos abaixo os mais conhecidos métodos contraceptivos naturais e utilizados em todo o mundo:

* Coito interrompido (“coitus interruptus”)

Não é propriamente um método contracetivo mas é uma forma utilizada por algumas mulheres para não engravidar, de salientar que este método não é nada seguro. Consiste na retirada do pénis da vagina antes do homem ejacular. É pouco eficaz porque, antes da ejaculação, pode existir uma saída de espermatozóides e estes podem ser suficientes para que haja uma concepção.

* Tabelinha ou Método Ogino-Knauss (método do calendário)

Limita a realização do ato sexual ao ciclo menstrual feminino, durante o qual o risco de concepção é menor. Comporta abstinência sexual durante cerca de 10 dias em cada ciclo. O período fértil é calculado da seguinte maneira:

A mulher tem uma ovulação por mês, 14 dias antes da menstruação seguinte; O óvulo é viável cerca de 2 dias após a ovulação e o espermatozóide pode ser fecundante 3 a 5 dias após ejaculação. Considerando a duração dos ciclos menstruais anteriores (pelo menos 6 ciclos), calcula-se o período fértil subtraindo 10 dias ao número de dias do ciclo mais longo e 20 dias ao número de dias do ciclo mais curto. Durante o período fértil deverá associar método de barreira ou praticar a abstinência.

* Método da Temperatura basal

Tem como fundamento o aumento da temperatura basal (pelo menos 0,5ºC) após a ovulação. A relação sexual desprotegida é aconselhada após 3 dias da elevação da temperatura. A avaliação da temperatura poderá ser vaginal, oral ou retal (após 6 horas de sono).

* Método do muco cervival

A observação do muco não é tão fácil como parece. As características do muco cervical variam ao longo do ciclo:

Na peri-ovulação é mais claro, mais abundante e com maior elasticidade (filância);
Após ovulação, é mais viscoso, opaco e menos abundante.

O período fértil inicia-se no primeiro dia em que o muco se torna filante e transparente, prolongando-se pelo menos 3 dias após a filância máxima. Neste período a mulher não deverá ter relações sexuais desprotegidas.

* Método Sintotérmico

A mulher identifica os dias férteis e inférteis, relacionando os métodos da temperatura basal e do muco cervical. O período fértil inicia-se logo que sejam avaliadas secreções vaginais, terminando no quarto dia após a filância máxima do muco cervical e depois de ultrapassado o 3.º dia de subida de temperatura basal.

* Método do Dia standard

Define o período fértil do 8.º até ao 19.º dia do ciclo. Só usado em mulheres com ciclos de 26 até 32 dias. Requer longos períodos de abstinência/associação de métodos de barreira. Não aconselhado em circunstâncias que podem afetar o tempo de ovulação.

Veja também: – O que é anel vaginal?

Fonte: – Contraceção Portugal



Deixar 1 Comentário

Captcha