Gravidez Medicina Holística

O Sucesso da Amamentação é o resultado da informação e confiança

O Sucesso da Amamentação é o resultado da informação e confiança
5 (100%) 2 votos

Amamentar nem sempre é um momento cor-de-rosa, há muitas dúvidas que invadem as mães. Em muitos casos sentem falta de informação, ou pelo contrário, informação contraditória. Por isso, desde LACTO-VIDA, decidimos juntar a nossa energia e conhecimento para ajudar as mães neste desafio, esclarecendo algumas das suas dúvidas.

Participe da nossa página no Facebook e esclareça todas as suas dúvidas, coloque suas perguntas e teremos muito gosto em responder: – https://www.facebook.com/1.GOTASdVIDA/

**** Autoria de Yolanda Castillo

amamentacao-gotas-de-vida

Durante a gestação, como é que a futura mãe se pode preparar para amamentar?

A melhor preparação para uma mulher é a confiança. Confiar na sua capacidade inata para alimentar a sua cria. Confiar no seu instinto e no seu bebé, pois como toda a cria mamífera, ele sabe como se alimentar e também quando está satisfeito.

Para além disso, podem ler e informarem-se sobre esta nova etapa, pois existem muitos mitos à volta deste tema que poderão causar alguma insegurança na mãe.

Participar de um grupo de apoio à amamentação, também poderá ser útil. Antigamente, as mulheres viviam em tribo, viam as outras mulheres amamentar. Era um ensinamento que passava de geração em geração. Hoje em dia, perdeu-se este contacto e ainda há muitas mães ou futuras mães que nunca viram outra mulher dar de mamar. Mas como dizia, a principal preparação é a confiança.

Como a futura mãe poderá fazer a preparação dos mamilos para amamentar?

 Os mamilos não precisam de nenhum tipo de preparação ou cuidado para a amamentação. O corpo da mulher é um universo perfeito. Quando a mulher vai conceber um filho, o seu corpo já inicia uma preparação. Quando o bebé é concebido, estas modificações no corpo continuam e fisiologicamente também os seios se preparam para a amamentação. Mas isto acontece fisiológica e naturalmente, sem que a mulher precise de fazer nada.

Durante a gravidez a mãe pode hidratar as mamas com algum óleo vegetal que ajude a nutrir a pele mas que não esteja contra indicado durante a gravidez. Por isso é importante, caso pretendam usá-lo, que consultem um profissional devidamente informado.

grupo-apoio-amamentacao-gotas-de-vida

É possível que a mamãe não tenha leite suficiente para o bebé?

A hipogalactia existe, mas não é habitual. Se isso acontecer teríamos que analisar como foi o parto e uma série de fatores emocionais que possam estar a interferir e também dar apoio à mãe e ver como se produz a toma. Porque cada mãe e seu bebé são um mundo e nele pode haver muitos fatores a interferir.

Mas como estava a referir, isto não é habitual. A produção de leite depende da sucção do bebé. Ou seja, quanto mais o bebé mama mais leite se produz. A natureza dos nossos seios é perfeita e sábia, por isso a produção dá-se quando o bebé mama. O leite que a mulher produz sempre é suficiente para o seu filho.

Como saber se o leite é fraco ou forte? Existe realmente isso?

O leite materno é o melhor alimento para o bebé. Poderíamos dizer que é um alimento vivo, porque adequa-se perfeitamente às necessidades de cada bebé e segundo as diferentes etapas de crescimento. Por isso, não existe leite de má qualidade, isso é um mito entre muitos outros. Muitas mães vêm que ao princípio da toma, o leite é mais líquido e à medida que o bebé mama, vai ficando mais “espesso”. Isto é um processo natural, esse leite inicial tem grande valor nutricional para o bebé.

De quanto em quanto tempo se deve dar o peito ao bebé? Quanto tempo deve durar cada mamada?

 Existem muitos mitos e informação errada ou não completamente errada em relação a esta questão. É importante, vital que a amamentação seja a demanda. Ou seja, sempre que o bebé quiser.

O leite materno é digerido rapidamente, entre 40-50 minutos no máximo. É importante para aprender a auto regular-se depois na vida.  A mãe deve confiar nela, no seu corpo, assim como também no seu bebé e na sua capacidade de alimentar-se.

Quais são os cuidados principais após o parto para que a amamentação seja bem-sucedida?

 Não sei se cuidados seria a palavra adequada para designar, mas sem dúvida são pontos muito importantes para a mãe, para o bebé e para um bom início da amamentação. O principal é a mãe estar bem informada para ter uma amamentação exitosa.

O parto tem um papel importante na amamentação. Após o parto é importantíssimo o contacto pele com pele da mãe com o bebé. Caso tenha havido uma cesariana e este contacto não possa ser feito com a mãe, por diversos motivos, este contacto deveria ser feito com o pai.

Pois o corpo da mãe foi o habitat do bebé durante meses. É aquilo que ele reconhece, o seu porto seguro, o amor em estado puro. Para além da redução da adrenalina e em consequência dos níveis de stress do recém-nascido, reforça o vínculo emocional e físico. Os bebés reconhecem a mãe pelo sentido de olfato, etc. Este contacto é importante para o bebé, para que, mediante o cheiro, consiga voltar à mama.

Como podes ver o contacto pele com pele tem uma série de benefícios que garantem o início de uma boa amamentação.
É também importante a prática da pega espontânea. O instinto do bebé como mamífero é mamar. Esse instinto é inato e ele sabe como fazê-lo. O bebé ao ser colocado pele com pele com a mãe, procura a mama para se alimentar e sabe como mamar.

Quando nós privamos o bebé deste instinto, e colocamo-lo na mama, tentando por na sua boca o mamilo, existe o risco de uma pega incorreta, porque o instinto fica confuso. Por isso o contacto pele com pele e a pega espontânea são dois fatores importantes. A amamentação ser a demanda também é igualmente valioso.

amamentar-grupo-apoio-a-maes

 

É possível aumentar a quantidade ou qualidade de leite que a mãe produz?

 A dieta da mãe não influencia na qualidade do leite. Em países subdesenvolvidos as mulheres dão de mamar aos seus filhos ainda estando desnutridas e o seu leite alimenta o bebé. Como dizia anteriormente a quantidade de leite depende da sução do bebé, não de suplementos.

Em alguns casos as mães recorrem a infusões ou algum tipo de alimentos, mas eu faço uma especial chamada de atenção, porque algumas infusões são tóxicas ou não recomendadas na gravidez ou amamentação, por isso se a mãe quiser ingerir algum tipo de infusão ou chá, deverá ser baixo a supervisão de um naturopata ou fitoterapeuta que a consiga assessorar corretamente.

Porque é que o bebé quer mamar a toda a hora? O leite não lhe alimenta o suficiente?

 O bebé mama por necessidade física, nutricional, pois precisa de comer. Mas também mama por motivos emocionais. Recordemos que durante a amamentação existe o contacto pele com pele com o bebé, que proporciona muitos benefícios, entre eles emocionais, tais como o bem-estar a todos os níveis, tranquilidade, segurança, etc. Por isso muitas vezes os bebés sentem necessidade de mamar a toda a hora, é a procura de aconchego e amor e não é só uma alimentação física.

Até quando a mãe deve amamentar o bebé?

As recomendações da OMS (Organização Mundial da Saúde) são a amamentação exclusiva até aos 6 meses de idade para proporcionar uma boa nutrição física e emocional. Posteriormente pode continuar-se com a amamentação até aos dois anos ou mais, complementando o leite materno com outros alimentos. Não nos devemos esquecer que o leite materno sempre alimenta. A amamentação é um processo ou etapa dos dois, por isso o desmame deve ser quando ambos se sentirem preparados para isso.

É normal ocorrer dor durante a amamentação?

Amamentar não tem porque ser doloroso. É normal sentir os peitos duros ou diferentes os primeiros dias. As mamas estão mais sensíveis. Se as mamas doem há um problema, bem seja de pega incorreta, posição ou algum dano na mama: greta, mastite, etc. Claro que por trás desta dor física também há uma dor emocional que a mãe carrega e que é preciso trabalhar.

É verdade que a mãe não pode tomar nenhum medicamento enquanto estiver a amamentar? Tem de fazer algum tipo de paragem se estiver a tomar remédios por uma situação pontual?

Há medicamentos que não são compatíveis com a amamentação, na realidade grande parte deles o são. Se algum dos medicamentos que a mãe tiver de tomar não é compatível, podem procurar-se outras alternativas ou substitutos desse medicamento, para que a mãe possa continuar a amamentar. Mas face qualquer dúvida, as mães podem consultar o site de e-lactancia.org, onde encontram estas informações atualizadas. Mas como dizíamos, na maior parte dos casos, os medicamentos são compatíveis com a amamentação.

Existem riscos para o bebé se não é alimentado com leite materno?

Quando o bebé não é amamentado é privado de anticorpos que só o leite materno lhe proporciona. Em consequência, os bebés têm mais possibilidades de adoecer e também de futuramente padecerem de obesidade, porque não aprendem a autoregular-se. Para além das possíveis alergias que podem provocar a alimentação por fórmula.

Yolanda Castillo
CAM, Doula e Terapeuta Holística
https://www.facebook.com/1.GOTASdVIDA/
http://www.centro-medicina-holistica.comunidades.net/



Deixar 1 Comentário

Captcha