Bigmãe

O que são Crianças Hiperativas?

A criança hiperativa ou a hiperatividade pode ser definida como um déficit de atenção (TDAH) e pode afetar tanto crianças, como adolescentes e até mesmo adultos. Os sintomas da hiperatividade são vários e podem ser brandos ou até mesmo graves. A hiperatividade pode ainda incluir outros problemas como problemas de linguagem e habilidades motoras. Mas, apesar de todos esses problemas, geralmente uma criança hiperativa tem uma inteligência maior que a média das crianças da mesma idade. É apenas preciso que os pais, os professores e pessoas com as quais a criança convive saibam como lidar com essa hiperatividade da criança. Mas é bom lembrar que somente um profissional poderá identificar se uma criança é ou não hiperativa.

Não é raro os pais das crianças receberem reclamação dos professores porque a criança tem falta de atenção nas aulas, é impulsivo, tem uma emoção muito instável e até mesmo não é possível controlar as crianças com facilidade.

Por muitas vezes os pais das crianças hiperativas podem confundir o comportamento agitado das crianças como malcriação ou até mesmo desobediência; é por isso mesmo que a hiperatividade demora muito a ser diagnosticada corretamente. Quanto mais se demorar em diagnosticar a hiperatividade, mais tarde o tratamento começará e maiores danos a criança já terá sofrido; pois a incapacidade de aprender, de se relacionar com os colegas, de prestar atenção a uma aula a deixará aflita e sem entender porque não consegue realizar determinadas tarefas que outras crianças conseguem.

Quando bem tratada e orientada, o comportamento da criança hiperativa consegue ser canalizado de forma correta e ela aprende a distribuir toda a sua energia para atividades benéficas e construtivas ao invés de usar a rebeldia para chamar a atenção.

Veja também: – Como lidar com crianças hiperativas

As crianças hiperativas quando bem orientadas podem canalizar o excesso de energia para coisas positivas!

O importante é que os pais levem os seus filhos a um terapeuta quando começam a perceber que a criança está se comportando mal até mesmo para os limites estabelecidos por você. E junto a isso, sempre há a queixa dos professores que não conseguem fazer com que ele fique comportado na sala de aula.

* Abaixo temos um vídeo onde podemos ver dicas para lidar com crianças hiperativas, em relação a medicação, eu sou totalmente contra, acho que há outras formas de se lidar com esta situação, mas esta é apenas a minha opinião pessoal.

Antes mesmo do diagnostico definitivo, os pais das crianças hiperativas devem ter alguns cuidados para tentar amenizar essa situação, como por exemplo, dar uma atenção maior a criança quando ela estiver em casa; não colocar rótulos na criança como mal-criada ou sem jeito. A criança hiperativa não faz isso porque quer, e sim porque não consegue canalizar a sua energia.

E por último, tente estabelecer e fazer valer as regras de comportamento sempre que a criança está fora de casa ou até mesmo em casa e você perceber que ela vai extrapolar os limites.

Sintomas relacionados à desatenção:

– Não prestar atenção a detalhes;
– ter dificuldade para concentrar-se;
– não prestar atenção ao que lhe é dito;
– ter dificuldade em seguir regras e instruções;
– desvia a atenção com outras atividades;
– não terminar o que começa;
– ser desorganizado;
– evitar atividades que exijam um esforço mental continuado;
– distrair-se facilmente com coisas alheias ao que está fazendo;
– esquecer compromissos e tarefas;
– problemas financeiros;
– tarefas complexas se tornam entediantes e ficam esquecidas;
– dificuldade em fazer planejamento de curto ou de longo prazo.

Os sintomas relacionados à hiperatividade/impulsividade:

– ficar remexendo as mãos e/ou os pés quando sentado;
– não permanecer sentado por muito tempo;
– pular, correr excessivamente em situações inadequadas;
– sensação interna de inquietude;
– ser barulhento em atividades lúdicas;
– ser muito agitado;
– falar em demasia e sem pensar no que vai dizer;
– responder às perguntas antes de concluídas;
– ter dificuldade de esperar sua vez;
– intrometer-se em conversas ou jogos dos outros;