Bigmãe
métodos contraceptivos masculinos

Métodos Contraceptivos Masculinos – Conheça as 6 opções

Poucas pessoas conhecem ou nem se quer ouviram falar. Mas existem sim, métodos contraceptivos masculinos além do preservativo (ou camisinha). Apesar de este ser – ainda – o único método eficiente quando o assunto são as doenças sexualmente transmissíveis, a sua eficácia depende de um fator: a correta utilização.

Você sabia que há alguns anos cientistas e especialistas na área tentam desenvolver outros métodos, que não voltados para a mulher, no que diz a contracepção? Ainda não é muito divulgado ou aceito. Pois “a tradição” ainda coloca a mulher como responsável por essa prevenção, no que diz respeito a métodos contraceptivos, para além da camisinha é claro. Um exemplo são os métodos hormonais, até o momento, 100% exclusivo de uso feminino. Mas esta realidade está prestes a mudar.

Como funcionam os Métodos Contraceptivos Masculinos

Para quem ainda não está familiarizado com os principais métodos contraceptivos, existem três classificações para quem deseja conhecer novas opções: métodos de barreira; métodos naturais e os métodos hormonais. Aqui vamos listar os 6 métodos masculinos, sendo que dois deles ainda estão em fase de testes e experiências. Confira:

1. Preservativo ou Camisinha

preservativo masculino

Este é um dos métodos contraceptivos mais conhecidos e difundidos na prevenção de doenças sexualmente transmissíveis e para evitar uma gravidez não planejada. As vantagens deste método gira em torno do fácil acesso – compra ou distribuição gratuita pelo Governo -, o baixo custo e a fácil utilização, uma vez que não requer preparo prévio. Sua desvantagem é que, quando não colocado da forma correta, pode invalidar sua eficácia de 90%. Ainda há a possibilidade de romper durante o ato sexual; e muitos casais não se sentem confortáveis ao fazer uso do mesmo.

2. Vasectomia

Este método contraceptivo masculino costuma assustar. Isso porque trata-se de um método cirúrgico e definitivo, no qual é feito o fechamento (ligadura) dos canais deferentes do homem. Estes canais são os responsáveis por transportar os espermatozoides do testículo até as glândulas que produzem o esperma masculino. Apesar de alguns médicos afirmarem que este pode ser um método reversível, o procedimento é muito difícil. E por isso muitos homens, principalmente aqueles que ainda não tem filhos e estão abaixo dos 40 anos, não consideram. Após esta intervenção, a ejaculação continua a existir e nada é afetado. Apenas deixa de existir a presença de espermatozoides.

3. Coito interrompido

A eficácia deste método é bem difícil de ser medida, uma vez que trata-se da retirada do pênis de dentro da vagina da mulher, durante o ato sexual, no momento que antecede a ejaculação. Ou seja, é preciso que o homem conheça o seu organismo para realizar este método contraceptivo no momento exato. Porém, vale recordar que existe sim a possibilidade, mesmo antes da ejaculação, da presença de espermatozoides no líquido pré-ejaculatório.  Daí a sua eficiência não poder ser controlada.

Veja também: Como escolher o melhor método contraceptivo na adolescência?

4. Abstinência

abstinência sexual

Este é um método que pode ser utilizado em conjunto com a parceira. Se ela faz o controle através de um dos métodos contraceptivos naturais, é provável que ela determine um período de abstinência sexual, que corresponde ao seu período fértil. Neste caso não existe um período fértil determinado para o homem e este método só é eficaz considerando o período da parceira. Caso contrário, é apenas uma situação óbvia na qual, sem realizar ato sexual, não é possível engravidar uma mulher.

5. Gel de Barreira

Existe uma técnica que vem sendo estudada há 30 anos pelo professor de Biomedicina do Instituto Indiano de Tecnologia, Sujoy Guha. Trata-se de um método contraceptivo masculino pouco invasivo e completamente reversível, por meio de um gel injetável anticoncepcional. A vantagem é que ele não possui efeitos colaterais para o homem, como como os hormônios para as mulheres.

Mas o porque este método ainda não está disponível? Simples. É preciso concluir as fases de teste, ser aprovado pela FDA – Agência Federal do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos EUA -, encontrar um investidor para que possa entrar no setor farmacêutico e então ser produzido e distribuído pelo mundo. Apesar de parecer um processo longo, estima-se que estará concluído entre os anos de 2018 e 2020. Interessante, não?

Como irá funcionar este método? É injetado, por meio de um médico, o gel sintético no canal deferente. Desta maneira, forma-se uma barreira/filtro que não permite a passagem dos espermatozoides (apenas o esperma). A injeção funciona como um anticoncepcional e, uma vez inserido tem a durabilidade de 10 anos. O procedimento dura cerca de 15 minutos e não é considerado cirúrgico ou exige dar pontos. Caso o homem decida ter filhos, bastará uma injeção de bicarbonato de sódio para dissolver o gel e pronto.

Assista ao vídeo que demonstra como o procedimento poderá ocorrer:

Quanto irá custar este procedimento? Em 2010 a patente deste produto foi comprada pela Parsemus, uma fundação sem fins lucrativos que tem como objetivo concluir os estudos e realizar a produção desta injeção para ser comercializada, inicialmente, nos Estados Unidos. Na Índia, onde foi criado, o seu custo chegou a ser de 10 Dólares (aproximadamente 33 Reais). De acordo com a Fundação, a versão do produto deverá ser distribuído para os países com rendimentos baixos entre 10 e 20 Dólares (entre 33 e 66 Reais) e em países com rendimento maior, entre 400 e 600 Dólares (entre 1.306 e 1960 Reais).

Qual a eficácia? De acordo com os estudiosos que realizaram este produto e os testes já realizados em alguns homens na Índia, além de durar cerca de 10 anos, a sua eficácia ronda os 98%. Isso ainda considerando que, uma vez aplicado, não é preciso controlar mais nada.

6. Pílula Anticoncepcional

pílula anticoncepcional masculina

Na mesma lógica deste método contraceptivo masculino de gel, pretende-se criar ainda a versão em um comprimido, para a produção de uma pílula anticoncepcional masculina. Acredita-se que ela estará disponível no mercado até 2021. A questão aqui é que ela será semelhante a da mulher e deverá ser tomada todos os dias, na mesma hora. O que pode voltar a ser um inconveniente e associar a sua eficácia ao correto uso.

Fonte: Estudo publicado em 2017, na Bacandrology.